Compartilhamentos

A Pesquisa Mensal de Serviço (PMS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o estado do Amapá apresenta o pior quadro do país na receita do setor de serviços. Os dados mostram que houve crescimento de apenas 0,2% nos primeiros seis meses do ano, o menor do Brasil. No ano passado, o Amapá registrou um aumento de 4,4%.

Os dados mostram que a população desocupada cresceu 6,8% em 2013 em comparação com 2012, e a ocupada cresceu apenas 4,2%. A taxa de desocupação se elevou de 9,9% para 12,1% em 2013, que seriam pessoas que não estudam e nem trabalham. O interessante é que no Amapá houve um aumento real de 2012 para 2013 no rendimento mensal domiciliar de R$ 2.436 para R$ 2.668.

Joel Silva, supervisor do IBGE

Joel Silva, supervisor do IBGE

Segundo o supervisor de Disseminação de Informações do IBGE, Joel Silva, a queda pode significar a falta de investimento no setor de serviços. “Em maio houve queda de -5,7%, em junho de -6,3% e em julho de -4,6%. Isso significa que os amapaenses estão gastando menos no salão de beleza, manicure, cinema e outros serviços privados, já que o dado não contempla o setor público. Mas isso pode indicar a falta de investimento no setor”, destacou.

A pesquisa avaliou a receita nominal, que é a diferença entre as despesas e o arrecadado. Somando os saldos de julho de 2013 até o mesmo mês de 2014, o Amapá apresentou uma elevação de 0,4%. O percentual também ficou na última posição do ranking no país. A média brasileira para o mesmo período é de 7,6%.

 

Compartilhamentos