Compartilhamentos

Após uma semana de greve, os bancários receberam a proposta de 8,30% no reajuste salarial e 9% no piso. A categoria está em greve em 19 estados e reivindica 12,5% de reajuste salarial. No Amapá, os 700 bancários se reunirão em assembleia nesta segunda-feira, 06, para decidir os rumos da greve. Enquanto isso, apenas os caixas eletrônicos continuam operando.

A categoria reivindica também participação nos lucros e resultados dos bancos, vale alimentação e auxílios, fim das metas abusivas e de suposto assédio moral, além de mais contratações, fim das demissões e o piso salarial de R$ 2.979.

Eduardo Gomes, representante dos bancários: orientação nacional pelo fim da greve

Eduardo Gomes, representante dos bancários: orientação nacional pelo fim da greve

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Amapá (Sintraf-AP), a orientação nacional é pelo fim da greve. “Vamos colocar essa nova proposta para a categoria. Dependendo da classe, a gente pode ou não suspender a greve a partir de amanhã. Existe a orientação nacional que a gente aceite esse percentual dos banqueiros, mas a categoria que decidirá”, frisou o presidente do Sintrap, Edson Gomes Azevedo.

No Amapá, 46 agências bancarias não funcionam desde a última terça-feira, 30 de setembro. Os bancários decidiram entrar em greve após rejeitar a proposta de 7,35% dos banqueiros. Serviços como correspondente bancário, pagamento ou abertura de contas, empréstimo e saque na boca do caixa não estão sendo realizados.

A última greve dos bancários ocorreu entre os dias 26 de setembro e 15 de outubro de 2013. A assembleia geral que decidirá os rumos da greve no Estado está marcada às 18 horas no Sintraf, localizado na Rua São José, 2169, no Centro.

Compartilhamentos