Compartilhamentos

Por volta das 11 horas deste domingo, 5, pai e filho foram detidos por policiais militares no Centro de Macapá sob suspeita de estarem fazendo boca de urna. Na cueca do jovem a polícia encontrou uma lista de nomes de eleitores e valores que deveriam ser repassados a eles. A estimativa que os valores repassados chegavam a R$ 50 mil. Os dois foram encaminhados para o Ciosp do Pacoval.

Segundo a Promotoria da 10ª Zona, as denúncias apontam que Natan Silva Lopes, pai do jovem, já estava no esquema de compra de votos desde a madrugada do dia 5. A Justiça autorizou busca e apreensão na casa do acusado. No local foram encontrados HD, pen drives, lista de cabos eleitorais, anotações de doações de material de construção e material de campanha.

De acordo com o Ministério Público Eleitoral (MPE/AP) o aliciamento de eleitores é um crime previsto no Código Eleitoral e prevê pena de até 4 anos de prisão mais pagamento de multa. Segundo a Lei das Eleições, a compra de votos pode resultar também no cancelamento do registro de candidatura, na cassação do diploma ou até na perda do mandato.

Compartilhamentos