Compartilhamentos

Apesar da orientação nacional pelo fim da greve, bancários do setor público no Amapá e mais três estados continuam de braços cruzados. A categoria realizou assembleia na segunda-feira, 06. Trabalhadores de cinco bancos privados aceitaram o reajuste de 8,30% no salário e 9% no piso, enquanto o servidores do Banco da Amazônia e Caixa Econômica Federal decidiram continuar com a greve. Os serviços nesses bancos continuam sendo ofertados parcialmente.

Consideraram as reivindicações atendidas os bancos Bradesco, HSBC, Itaú, Santander e Banco do Brasil. Já a Caixa Econômica e Banco da Amazônia não abrem mão dos 12,5% de reajuste salarial, assim como maior participação nos lucros e resultados dos bancos, fim das metas abusivas, mais contratações e o piso salarial de R$ 2.979. Apenas Bahia, Florianópolis, Roraima e Amapá continuam com a greve.

Das 46 agências bancarias no Amapá, 36 voltam a funcionar normalmente. No caso do Banco da Amazônia e Caixa Econômica, os serviços serão parciais. Caixas eletrônicos, cheques e impressão de papéis e transações pela web funcionam normalmente. Outros serviços como pagamentos, abertura de contas, empréstimo e saque na boca do caixa não estão sendo realizados.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Amapá (Sintraf-AP), nove propostas haviam sido apresentadas e isso desgastava a classe. “Decidimos aceitar o percentual após nove propostas. Os bancos que continuam de greve ficaram de apresentar proposta aos banqueiros em uma reunião na noite desta terça-feira. o sindicato defende um resultado satisfatório a todos”, afirmou o presidente do Sintrap, Edson Gomes Azevedo.

 

Compartilhamentos