Compartilhamentos

A Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter) trouxe para Macapá na tarde desta quarta-feira, 22, mais de 20 motos que estavam circulando sem documentação em comunidades agrícolas localizadas entre Água Branca do Cajari e a cidade de Laranjal do Jari, região Sul do Amapá. Entre as motos apreendidas algumas aparecem como roubadas no sistema da Polícia Civil. Esse foi o resultado da Operação Duas Rodas realizada na região na terça-feira, 21.

Delegado Neuton Gomes, titular da Polinter

Delegado Neuton Gomes, titular da Polinter

Para a polícia os colonos se transformaram em novos consumidores de motos roubadas. Segundo o delegado titular da Polinter, Neuton Gomes, as apreensões aconteceram na BR-156, que é muito usada pelos colonos, e dentro das comunidades agrícolas. “Esse parece ser um novo comércio, pois as motos roubadas geralmente atravessavam para o lado do Pará através de Laranjal do Jari. Agora, elas nem chegam ao Rio Jari, são vendidas no caminho a preços irrisórios para os colonos”, explicou o delegado. Uma moto é vendida até por R$ 600,00 na região.

A próxima etapa da Polícia Civil é procurar pelos proprietários das motos roubadas, consultando o sistema do Departamento de Trânsito (Detran). “Também pedimos que as pessoas que estejam com o cadastro desatualizado no Detran e que tenham sido vítimas de roubos de moto que nos procurem”, concluiu Neuton.

Além das motos apreendidas na operação, outras 26 motos roubadas que foram apreendidas pela Delegacia de Polícia de Laranjal de Jari este ano, serão transportadas para Macapá na próxima semana. Segundo a Polinter, a região Sul do Amapá é uma área chave no combate ao roubo de motocicletas. É que quando as motos são roubadas em Macapá e Santana seguem direto para a região do Jari, onde fica mais fácil o seu “desaparecimento”.

 

Compartilhamentos