Compartilhamentos

Depois do episódio violento envolvendo o candidato Camilo Capiberibe (PSB), na terça-feira, 14, em dois momentos de sua agenda, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AP) decidiu por unanimidade que a Polícia Militar deve fazer a segurança dos candidatos que disputarão o 2º turno em eventos os eventos públicos. O objetivo é manter a ordem.

Os episódios levaram a coligação Frente Popular a Favor do Amapá, pela qual Camilo é candidato, a entrar com o pedido de segurança junto ao TRE, que acatou o pedido, mas estendeu o benefício também a Waldez Góes (PDT). Desde quinta-feira, 16, o policiamento diferenciado acontece em comícios, debates e caminhadas.

Para contar com o policiamento, os candidatos devem comunicar com antecedência as suas agendas à Polícia Militar, para que policiais sejam destacados para cumprir a determinação do TRE. Os comunicados devem conter os locais e horários de cada evento da agenda, garantindo assim a efetividade do serviço.

 

Compartilhamentos