Compartilhamentos

O deputado federal eleito Roberto Góes (PDT) se envolveu em uma confusão na manhã deste domingo, 26, na escola José de Anchieta, onde vota. De acordo com testemunhas, ele teria agredido um eleitor depois de ser xingado e vaiado. A agressão não foi registrada pela Polícia Militar, mas os envolvidos receberam orientação de registrarem boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

Segundo o ambulante Raimundo Dias, de 54 anos, quando o Roberto Góes chegou para votar, foi recebido com vaias e xingamentos por alguns eleitores. A situação culminou com a saída de Roberto. Eleitores mais alterados o pressionaram a sair da escola. “Ele já estava de saída quando foi cercado por eleitores. Ele e o filho foram agredidos verbalmente. Roberto virou e deu um soco em alguém e depois entrou no carro que já o esperava”, relatou o ambulante.

O homem que afirmou ser agredido é Manoel Resende, de 48 anos (foto). Ele nega a agressão verbal ao ex-prefeito. “Estávamos nos manifestando em relação à prisão de vários gestores na operação Mãos Limpas em 2010. Eu não lhe disse nada. Estava com minha neta no colo. Ele que se exaltou e me bateu”, acusou. O candidato ao governo Waldez Góes (PDT) que também estava na escola acompanhado à esposa Marilia Góes votar, ao ser perguntado sobre a acusação preferiu não emitir opinião. Disse apenas que “medidas serão tomadas”.

Policiais militares que estavam na escola não testemunharam o fato. “Ouvimos os eleitores que viram a agressão, falamos com o deputado, que negou ter agredido alguém. Então, orientamos os dois a procurar uma delegacia”, explicou o capitão da PM, Kássio Nunes.

Compartilhamentos