Compartilhamentos

A Capitania dos Portos não registrou problemas no Círio Fluvial, ocorrido na tarde do sábado, 11, no Rio Amazonas. A Marinha atuou com 30 militares, 4 lanchas e  um navio patrulha de Belém.  No total, apenas 35 embarcações de grande e pequeno porte foram fiscalizadas e inscritas para participar da romaria que seguiu da Igreja Nossa Senhora de Fátima, em Santana até à rampa de Santa Inês, em Macapá.

Fieis esperando a chegada da imagem na Rampa do Santa Inês

Fieis esperando a chegada da imagem na Rampa do Santa Inês. Fotos: Cássia Lima

O Círio Fluvial partiu às 13h30 do Porto do Grego, em Santana, e chegou à rampa do Santa Inês às 16 horas. Muitos fiéis acompanharam a chegada da santa com muitos cânticos de louvor e adoração. “A santa tem me dado muitas graças. Devo minha vida a ela. Todo ano eu venho recebê-la aqui no porto ou acompanho de algum barco. Ela que me curou quando quebrei a perna. E dela veio o filho de Deus. A santa é o amor do pai entre nós”, declarou Lucimar Barreto Vaz, de 71 anos.

"Ela me consolou quando meu filho morreu", diz devota

“Ela me consolou quando meu filho morreu”, diz devota

De passagem por Macapá, o paraense Renato fez questão de acompanhar a festa

De passagem por Macapá, o paraense Renato fez questão de acompanhar a festa

Os devotos queriam agradecer as bênçãos recebidas. “Eu sempre acompanho a santa onde ela estiver. No momento que meu filho morreu, foi ela que me confortou. Obrigada minha santa mãe de Deus”, agradeceu Ana Ferreira dos Reis, de 61 anos. “A mãe de Deus tem um significado especial para todos os católicos. Ela traz paz, bem estar e amor. Minha família é unida em Deus por meio da santa virgem Maria”, disse o paraense Renato Pereira, de 40 anos que está de passagem por Macapá, mas fez questão de acompanhar a santa.

Momento da transladação

Momento da transladação

Com a chegada da santa foi a vez do Círio dos Ciclistas e Mototaxistas, que conduziram a imagem em procissão até a Catedral de Macapá.

Compartilhamentos