Compartilhamentos

O navio da Guiné vistoriado pela Agência Nacional de Saúde (Anvisa) neste sábado, 18, no Rio Amazonas, em Macapá, foi liberado para retornar à África, a informação é da Capitania dos Portos. Não há sinais de pessoas contaminadas por ebola. Apesar disso, a embarcação não vai prosseguir viagem até Santarém, onde apanharia um grande carregamento de soja.

O navio está parado na frente da cidade de Macapá, próximo ao distrito de Fazendinha, e esperava o embarque de práticos que fariam sua condução em segurança pelos canais do Rio Amazonas. Contudo, com medo do ebola que assola a Guiné e outros países africanos, nenhum prático quis subir a bordo.

Uma equipe da Anvisa vistoriou o navio e seus 38 tripulantes, e menhum deles apresentou sintomas da doença como febre e dores de garganta. “Eles nem vão ficar em quarentena. Mesmo assim, a empresa proprietária do navio decidiu determinar o retorno da embarcação, até porque lá em Santarém as autoridades não concordaram em receber o navio”, informou na noite deste sábado o tenente Fabiano Crespo, encarregado da Divisão de Transporte Aquaviário da Marinha.

O navio continua parado em frente à cidade de Macapá aguardando orientação da empresa proprietária que dirá em que porto o navio deverá atracar.

Compartilhamentos