Compartilhamentos

Sim, juntos!

lucas e davi 

Quem achava que eles estavam rompidos se surpreendeu com a cena: Davi e Lucas, juntos, distribuindo água para os romeiros do Círio de Nazaré. Já é uma tradição as famílias de Lucas e Davi se concentrarem para acompanhar a procissão na casa da família de Lucas, na Rua Hamilton Silva, no Bairro Santa Rita.

Amizade 

Davi tomou uma decisão diferente de Lucas, que escolheu a neutralidade no segundo turno. Davi está na campanha de Camilo Capiberibe (PSB) por razões óbvias: não poderia apoiar o grupo de seu rival Gilvam Borges (PMDB), entre outros motivos. Apesar da divergência momentânea, os dois continuam amigos.

Preparação

WALDEZ

Nesta segunda-feira, 13, a TV Amapá inicia a primeira rodada de entrevistas do segundo turno com os candidatos ao governo.  Hoje é a vez de Waldez Góes (PDT) que passou parte do dia reunido com assessores se preparando para a entrevista. Entre os principais conselheiros está o jornalista Marcelo Roza, ex-Jornal do Dia e secretário de Comunicação do Estado em dois governos, além de um dos nomes mais respeitados da comunicação.

Marcivânia

marcivânia mais bonita

Quem também decidiu pela neutralidade nessas eleições foi a deputada federal Professora Marcivânia (PT). Eleita com 16.162 votos, mais de 10 mil só em Santana, Marcivânia fez uma campanha de televisão engessada. Não poderia tecer críticas ao governo por imposição da cabeça da coligação, o PSB. A relação entre Marcivânia e o PSB, que era de parceria no início do governo, agora inexiste.

Saindo e atirando

agnaldo balieiro

Balieiro chutou o pau da barraca e abriu fogo contra os caciques de seu partido, o PSB. Acusou o partido de perseguir suas indicações no governo e de desrespeitar seu mandato.  O deputado estadual enquadrado pelo repórter da Globo Marcos Losekan, teve 4.635 votos, mas não consegui a reeleição. Sai atirando.

Apoio 1

O candidato Camilo Capiberibe (PSB) comemorou e tratou de usar logo no primeiro programa de TV o apoio que recebeu dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL) e o recém-eleito Davi Alcolumbre (DEM). “Agora são três senadores trabalhando pelo Amapá que cansou de servir a interesses de quem nem mora aqui”, tem dito ele que naturalmente já tinha o apoio do senador e pai João Capiberibe (PSB).

Apoio 2

Waldez Góes também tem razões para estar otimista com apoios. Dois ex-candidatos fecharam com ele, Bruno Mineiro (PT do B) e Jorge Amanajás (PPS). E começou o programa de televisão do segundo turno pedindo votos dos eleitores de todos os candidatos, incluindo de seu rival.

Ibope

Em tempo: primeira pesquisa Ibope para o segundo turno deve ser divulgada neste fim de semana, provavelmente na sexta-feira, dia 17.

Diálogo na igreja

A Diocese de Macapá organizou um “diálogo” com os candidatos ao governo do Estado. Será uma espécie de debate com Camilo e Waldez que já confirmaram presença. O evento será transmitido ao vivo pela Rádio José (100,5 FM). O debate acontece no Centro Diocesano, no Bairro Jesus de Nazaré, a partir das 19h30.

Reátegui

Marcos-Reategui

Quem anda pra lá de motivado é o deputado federal eleito Marcos Reátegui (PSC). Com mais de 12 mil votos, Reátegui venceu com a promessa de lutar pelo terceiro setor, mais especificamente o cooperativismo. Delegado da Polícia Federal, ele se defende num processo por vazamento de informações. Além de negar, garante que tudo não passou de armação dos adversários do presidente da Assembleia Legislativa, Moisés Souza, seu irmão.

Batalha

A entrada de Reátegui na Polícia Federal é curiosa. Além de vencer o desafio do concurso, acabou quase perdendo a vaga. O concurso foi em 2001, mas ele só pôde assumir em 2009 depois de vencer na Justiça. Reátegui tinha uma virose quando se apresentou para a contratação, e foi recomendado que voltasse em 30 dias após tratamento. Quando o fez, descobriu que tinha perdido a vaga. Levou 8 anos para que a Justiça garantisse sua posse.

Compartilhamentos