Compartilhamentos

Uma assistente social é suspeita de oferecer cadastro do Programa “Minha Casa, Minha vida” em troca de votos. A denúncia foi protocolada no Ministério Público Federal (MPF) pela Prefeitura de Macapá na quinta-feira, 23. De acordo com a denúncia, a mulher oferecia o cadastro por telefone, diferente do processo via online.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social e Trabalho (Semast), o procedimento ocorre, via online ou em pontos fixos disponibilizados pelo Município, nada por telefone. A assistente social foi identificada após denúncias e relatos de pessoas que tiveram o suposto serviço oferecido. “Essa mulher estaria fazendo cadastro em troca de votos. Mas esse procedimento não tem essa finalidade e é realizado de forma online”, esclareceu a secretária de Assistência Social, Eliane Gonçalves.

A secretária explica que cadastro é oferecido pela Prefeitura de Macapá para selecionar beneficiários para conjuntos habitacionais, mas não garante a casa popular à pessoa inscrita. “Esse é apenas um cadastro. Não há garantia de que essa pessoa seja imediatamente beneficiada. A seleção definitiva é feita após visita social e aprovação no Cadastro Único (CADÚNICO) do governo federal”, explicou.

A denunciada será investigada pelo MPF. As provas do crime, inclusive áudios gravados de conversas telefônicas, foram entregues à Justiça. Desde setembro, os cadastros para os programas do ‘Minha Casa, Minha Vida’ são realizados em dez pontos fixos disponibilizados pela Prefeitura de Macapá, além do site da prefeitura (www.macapa.ap.gov.br).

 

Compartilhamentos