Compartilhamentos

O número cada vez maior de cães vítimas de atropelamentos em Macapá levou a ONG Anjos Protetores e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Seccional Amapá, com o apoio de parceiros, a promover uma campanha educativa. A ideia é conscientizar os condutores de veículos a reduzir a velocidade ao observar um cão ou gato tentando atravessar a pista. A primeira ação ocorre nesta sexta-feira, 21, a partir das 16 horas, no cruzamento da Avenida FAB, com a Rua General Rondon, Centro.

O ponto de partida da campanha é o Centro de Macapá, mas a mobilização vai percorrer também os cruzamentos de maior fluxo de veículos, principalmente em horários de pico com a entrega de 10 mil panfletos educativos. O slogan da campanha é “Eu freio para animais!”.

Menino se arrisca ao tentar retirar cachorro da rua: muitos animais não tem a mesma sorte

Menino se arrisca ao tentar retirar cachorro da rua: muitos animais não tem a mesma sorte

“Vamos concentrar a panfletagem em pontos estratégicos das zonas Norte e Sul de Macapá e também nas rodovias JK, Duca Serra, BR-210 e do Curiaú. Num segundo momento vamos utilizar faixas com frases de impacto para alertar os motoristas a dar preferência ao animal quando estiver atravessando uma via. Desta forma, é possível evitar muitos acidentes que têm provocado a morte de animais ou sequelas para o resto da vida”, destaca a presidente da ONG Anjos Protetores, Laudenice Monteiro.

A Ordem dos Advogados do Brasil, que sempre participou das grandes lutas em favor das minorias, agora levanta também essa bandeira em favor dos animais. “Todos os dias inúmeros animais morrem atropelados pelas ruas da nossa cidade. Alguns por falta de atenção dos motoristas. Outros porque são vistos por alguns condutores como coisas desprovidas de sinais vitais e incapazes de sentir dor. O objetivo da campanha, além de reduzir esses atropelamentos, é chamar a atenção das autoridades e da sociedade de forma geral para o prolema da superpopulação de animais abandonados pelas ruas da cidade e para o sofrimento a que estes animais estão submetidos”, comentou Edmir dos Santos, presidente da Comissão Especial de Defesa e Proteção dos Animais da OAB Amapá.

Compartilhamentos