Compartilhamentos

Nesta segunda-feira, 24, a Polícia Civil do Amapá deu continuidade a “Operação Siameses”, que investiga uma quadrilha especializada em aplicar golpes no sistema do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e no Departamento de Trânsito do Estado (Detran). Três homens suspeitos de fazerem parte do esquema foram presos. Na casa de um deles a polícia encontrou uma arma de fogo e munição. A quadrilha também é investigada pela prática de crimes eleitorais, nos quais estaria envolvido um deputado estadual eleito em outubro passado.

Arma apreendida com um dos acusados

Arma apreendida com um dos acusados. Foto: Ascom/Polícia Civil

De acordo com o delegado de Crimes Contra o Patrimônio (DECCP), Paulo Reyner, a denúncia de crime eleitoral foi encaminhada ao Ministério Público Eleitoral, que é o órgão competente para investigar o caso, já que existe o possível envolvimento de deputado estadual eleito, que não teve o nome revelado. De acordo com as investigações, a quadrilha também vem praticando crimes contra o patrimônio e adulteração de documentos diversos.

Delegado Paulo Reyner

Delegado Paulo Reyner

A operação recebe o nome de “Siameses” porque as duas pessoas acusadas de serem os chefes da quadrilha são os irmãos Mário Amanajás Duarte e Marivaldo Amanajás Duarte, que estão foragidos. “Os presos nesta segunda-feira foram Pedro Paulo Rosa da Silva, apontado nas investigações como braço da quadrilha que providenciava Carteiras de Habilitação de maneira fraudulenta; o mecânico Ivaldo Bispo, que tinha na sua oficina um veículo com registro de roubo; e José Júnior Ribeiro da Silva, também envolvido com as fraudes no sistema do Detran”, ressalta Paulo Reyner.

Até agora pelo menos seis membros da quadrilha já foram presos. Continuam foragidos, além dos irmãos Amanajás, Ítalo Rodrigues Lopes, Jeiele Mendes Matos e Marcos Ubiratan de Andrade.

Compartilhamentos