Compartilhamentos

Os guardas municipais e inspetores de Macapá estão em greve há 27 dias e prometem continuar por tempo indeterminado. De acordo com o Sindicato dos Guardas e Inspetores Municipais de Macapá (Sigimma), a principal reivindicação é a assinatura do decreto que prevê a promoção da categoria. Os servidores também querem capacitação para uso de armas de fogo.

Cleber Medeiros: "exigimos nossos direitos"

Cleber Mendes: exigimos nossos direitos

Em 2012 o município concedeu 500 promoções aos guardas municipais, mas em 2013 a Prefeitura retirou a promoção alegando que o beneficio não obedecia os critérios legais, como escolaridade, proporcionalidade, cursos de capacitação e indisponibilidade orçamentária. Este ano os guardas fizeram várias paralisações para dialogar com a Prefeitura, mas nada foi resolvido.

Os trabalhadores exigem ainda equipamento pessoal, curso para uso de armamento, pagamento de retroativo salarial, postos de trabalho com as mínimas condições e retroativo da data base. “Exigimos que o prefeito resolva nosso problema e cumpra a lei. Queremos a publicação do edital e assim terminamos a greve e negociamos as outras pautas”, garantiu o guarda municipal, João Cleber Mendes.

A assessoria de comunicação informou que a Prefeitura está analisando as propostas e que deve se posicionar sobre assunto nesta quarta-feira, 26.

 

Compartilhamentos