Compartilhamentos

Uma senhora de 59 anos e marido dela, portador de mal de parkinson, doença que atinge o sistema nervoso, passaram horas de terror na tarde desta quarta-feira, 05, quando receberam a ligação de uma pessoa se passando por sequestrador. Do outro lado linha, o bandido avisou que a filha mais nova do casal estava sendo mantida refém e que queria uma quantia em dinheiro para libertar a moça. Porém tudo não passava de um golpe, que logo foi resolvido pela equipe de área do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

Segundo a vítima do golpe, o telefone da residência tocou por volta das 13 horas. Aí começou a tortura psicológica sobre os pais da suposta sequestrada. “Quando atendi uma voz feminina falou: “mãe, fui sequestrada e eles querem dinheiro para me soltar’. Logo depois um homem tomou o telefone e começou a fazer as exigências para soltar a minha filha. Fiquei desesperada e meu marido também começou a passar mal” contou a funcionária pública, que prefere o anonimato.

Como não conseguia racionar direito por conta do nervosismo, a idosa chamou uma vizinha para ajudar na negociação. Nesse momento entraram em contato com o Bope contando o que estava ocorrendo. “Ainda pensei em ligar para minha filha para saber se estava tudo bem. Mas eles diziam que se o telefone dela tocasse iriam matá-la. Eles disseram que iriam pegar o dinheiro perto da lotérica mais próxima. Na hora não percebi, mas agora pensando melhor parecia que os sequestradores não conheciam a cidade. Falavam coisas amplas sem especificidades sobre Macapá”, contou a idosa.

Logo a notícia se espalhou na vizinhança, que já estava organizando uma coleta para levantar o dinheiro do resgate. Quando o Bope chegou, o caso foi solucionado. O oficial responsável pela guarnição pegou outro telefone e ligou para a filha que teria sido sequestrada. A moça estava em seu ambiente de trabalho salva. Tudo não passava de golpe do falso sequestro usado para extorquir dinheiro das pessoas.

 

Compartilhamentos