Compartilhamentos

A juíza eleitoral Elayne Cantuária pode emitir um novo despacho nesta sexta-feira, 28, sobre o pedido de liminar feito pelo candidato derrotado ao Senado Gilvam Borges (PMDB) pleiteando a impugnação da prestação de contas da campanha do senador eleito Davi Alcolumbre (DEM). A magistrada voltou atrás na decisão que extinguia a ação depois que encontrou “erro material” no processo, e que agora vai fazer diligências para então se posicionar novamente sobre o caso.

Nesse novo cenário, o processo continua em andamento até que sejam esgotados todos os trâmites. Vale ressaltar que a juíza, no parecer anterior, que julgou extinto o processo de impugnação, disse que a decisão não afetaria o resultado das eleições. A magistrada deixou claro que não se sabe se o TRE vai ou não aceitar essa nova situação. Só depois das diligências é que essa decisão será tomada.

O advogado Paulo Santos, que defende Davi Alcolumbre no processo, se posicionou sobre o caso. “O que eu tenho a reiterar é que já examinamos a prestação de contas e temos provas suficientes de que tudo está de acordo com a lei. Se a juíza não tivesse indeferido a ação nós já teríamos demonstrado isso”, enfatizou.

A ação movida pela coligação a “Força do Povo” (PP, PDT e PMDB) alegando que a campanha de Davi tinha apresentado notas fiscais de empresas que não estariam habilitadas para prestar serviços em campanha eleitoral. Mas a defesa de Davi Alcolumbre enfatizou que tanto a Tv Amazônia quanto a empresa L S Morais, apontadas no processo, estavam habilitadas para prestar serviços em campanha eleitoral.

Compartilhamentos