Compartilhamentos

Professores de uma escola na Linha B do polo agrícola do KM-9 (Rodovia AP-440) agora tem mais motivos para trabalhar com medo. Depois de terem sido assaltos dentro da instituição e de se mobilizar para pedir segurança policial, eles voltaram a ser ameaçados por criminosos que agora dizem que voltarão a invadir a escola, desta vez para matar. O caso está sendo comunicado à Polícia Militar e à Secretaria de Educação do Amapá.

O assalto ocorreu no dia 29 de outubro na Escola Estadual “Professora Helenise Walmira Dias dos Santos”. Sete bandidos renderam professores e alunos. Celulares e uma pequena quantidade de joias e dinheiro foram levadas pelos criminosos. Os professores pediram uma audiência pública com autoridades policiais para tratar do assunto, o que teria irritado os bandidos.

Ameaças agora são de morte

Ameaças agora são de morte

Segundo uma professora que não quis se identificar, a ameaça de invasão chegou esta semana por um recado dado aos moradores da região. “Após a reunião, a comunidade veio nos falar que um grupo de marginais informou que agora entrariam na escola, mas não para roubar, e sim para agir com violência, pois com a reunião a Polícia Militar passou a ser mais presente na comunidade, o que pode prejudicar os bandidos com as suas ações”, contou.

Por conta da ameaça, os professores mudaram os horários de aula para tentar se precaver. Agora os alunos e professores da manhã e da tarde terminam os turnos mais cedo. As aulas do turno da noite acontecem com o apoio de uma viatura do 6º Batalhão da Polícia Militar.  “Após a audiência pública, a Polícia Militar foi à única que deu uma resposta rápida aos pedidos de mais segurança, já outros órgãos como  Promotoria da Cidadania e a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) nem compareceram”, acrescentou a professora.

O medo já fez alguns professores pediram transferência para outras escolas.

Compartilhamentos