Compartilhamentos

A Rodovia Norte/Sul já está sendo utilizada, e da pior forma possível. Os “retões”, um deles com quase 2 quilômetros, viraram pistas de corrida. Donos de motos possantes estão aproveitando o lugar deserto para acelerar o máximo de podem, colocando em risco suas próprias vidas, além de cometer várias infrações de trânsito. Na madrugada desta sexta-feira, 7, após denúncias, a Polícia Rodoviária Estadual conseguiu apreender uma dessas motos, capaz de atingir mais de 300 km/h.

A Norte/Sul, mesmo incompleta, já possui pouco mais de 4 quilômetros de pistas construídas. O único prédio construído às margens da rodovia é a nova sede da Superintendência da Polícia Federal. “Alguns policiais já tinham relatado pra gente que os rachas estavam acontecendo”, diz o comandante do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual, capitão Rondinele Marques.

Esta madrugada policiais foram até o local e flagraram o racha. O motociclistas conseguiram fugir, com exceção de um. A moto, de 1.000 cilindradas, foi apreendida, e levada para o curral do Detran, de onde só sairá depois do pagamento de multa no valor de R$ 1.915.

Os rachas com motos de altas cilindradas não são novidade para as autoridades policiais. Os motociclistas costumam usar a Rodovia 070 e a BR-210. “Eles usam rádios de comunicação e conseguem se organizar para escapar da fiscalização”, revela Marques.

A mais perigosa

O policiamento será intensificado na Rodovia Norte/Sul, que vai receber a sede definitiva da Polícia Rodoviária Estadual.  Até agora a rodovia que mais tem dado trabalho é a JK, com 293 acidentes de janeiro e outubro.

No mesmo período, a Rodovia Duca Serra teve 191 ocorrências. A Rodovia do Curiaú (AP-70), teve 32 acidentes. Apesar de poucos, a região do Curiaú registrou os mais graves, com 6 óbitos. 

Compartilhamentos