Compartilhamentos

Moradores do conjunto Macapaba, localizado na Zona Norte de Macapá, reclamam que um problema no sistema da Caixa Econômica Federal impediu com que as prestações dos apartamentos fossem pagas e muitas pessoas acabaram tendo os nomes inseridos no Sistema de Segurança ao Crédito (SPC).

Segundo os moradores, todos os meses precisam pagar as prestações à Caixa Econômica, mas os boletos não estão sendo gerados há cerca de três meses. “Um problema no sistema nos deixou sem poder fazer os pagamentos e agora nossos nomes foram parar no SPC. Tudo por conta de um erro da Caixa”, reclamou a presidente da Associação de Moradores do Macapaba, Socorro Leite.

Socorro Leite: nome no Sistema de Proteção ao Crédito

Socorro Leite: nome no Sistema de Proteção ao Crédito

O gerente regional da Caixa Econômica Federal no Amapá, Célio Lopes, confirmou que o sistema teve um problema durante 15 dias, mas que tudo já está resolvido e que a falha não está relacionada com os nomes que caíram no SPC. “As pessoas já podem se deslocar às agências da Caixa para pegar o boleto e realizar o pagamento sem juros. Já com relação as pessoas que tiveram seus nomes negativados, devem realizar o pagamento das dívidas atrasadas, pois o problema com o sistema aconteceu durante 15 dias, e o nome só é enviado ao SPC depois de três meses de atraso”, explicou Célio.

Célio Lopes: problema no sistema da Caixa já foi resolvido

Célio Lopes: problema no sistema da Caixa já foi resolvido

De acordo com o representante da Caixa Econômica, apenas 333 pessoas não estão com os cadastros regularizados e estão liberadas das taxas. É que outro problema no sistema da CEF acabou por não consolidar os contratos de entrega das casas. “Mas essas pessoas logo serão chamadas para assinar um novo contrato e assim começarão a pagar seus imóveis. Outras 2.148 famílias estão com os cadastros em dia e devem fazer o pagamento das prestações”, concluiu Célio.

O mutuário que deixar de pagar o imóvel, além de ter o nome negativado, pode ter o apartamento retomado pela Caixa, e ainda ficar sem receber qualquer benefício do governo federal, como o Bolsa Família, por exemplo.

 

Compartilhamentos