Compartilhamentos

As escolas estaduais amanheceram a segunda-feira, 26, com longas filas. Nas escolas de ensino médio foi dia de matricular os filhos no 1º ano. Nas mais procuradas, como a Alexandre Vaz Tavares, o processo inclui três fases: inscrição, sorteio e matrícula.

Arminda: "sorteio não é justo com quem mora no bairro"

Arminda: “sorteio não é justo com quem mora no bairro”

Só para o 1º ano, a escola abriu mais de 500 vagas. Os primeiros da fila chegaram por volta das cinco horas da manhã. Os portões só seriam abertos às 8 horas, mas a entrada foi antecipada depois que a chuva começou a cair. “Eu vim do Tiradentes (escola de ensino médio na Avenida FAB) e lá a fila tava bem maior”, disse Rosiane Santos, que tentava uma vaga para o filho.

Apesar de já ter virado uma tradição, os sorteios nas escolas mais antigas e centralizadas irritam os pais. “Não é justo com quem mora mais próximo da escola”, avalia Arminda Almeida, referindo-se aos alunos que moram em bairros distantes, e que mesmo assim disputam vagas com quem mora no bairro onde fica a escola, neste caso no bairro do Trem.

Em outras escolas a procura também foi gigantesca. No Colégio Amapaense mais de 1 mil pais disputavam 208 vagas para o 1º ano do ensino médio. Foi necessário chamar a Polícia Militar para acompanhar o atendimento e evitar confusão.

Rosiane: "No Tiradentes a fila tava maior"

Rosiane: “No Tiradentes a fila tava maior”

Também haverá sorteios no Tiradentes, Colégio Amapaense e Gabriel de Almeida Café. As matrículas na verdade só iniciarão no dia 18 de fevereiro. Na semana passada começaram as matrículas para o ensino fundamental, do 5º ao 9º ano com 18,4 mil vagas. A Seed não informou a quantidade de vagas para o ensino médio. 

Compartilhamentos