Compartilhamentos

Uma operação da Polícia Federal desencadeada na manhã desta quarta-feira, 21, vasculha prédios da prefeitura de Macapá, alguns ligados à Secretaria de Assistência Social (Semast). A investigação teria a ver com pagamentos indevidos do Programa Bolsa Família, mas essa informação ainda não foi confirmada.

A operação começou às 6 horas da manhã, e conta com pelo menos 30 agentes que chegaram de outros estados. Até às 7h30, pelo menos duas viaturas e oito policiais continuavam dentro do complexo do projeto Macapá  Criança, no Bairro das Pedrinhas.

Pelo menos 30 policiais de outros estados participam da operação

Viaturas no projeto Macapá Criança. Pelo menos 30 policiais de outros estados participam da operação. Fotos: Jair Zemberg

Ainda não há notícias de prisões ou apreensões. Viaturas passaram também pela sede da Semast, no Bairro Central, e pelo Instituto de Turismo, a Macapatur. A superintendência da Polícia Federal prometeu uma entrevista coletiva às 11 horas da manhã.

Outra informação não confirmada é de que a operação foi batizada com o nome de “Limos”, que na mitologia grega significa “fome”.

Em Macapá, cerca de 23 mil famílias estão cadastradas no programa de bolsas do governo federal, que é administrativa pela prefeitura. Por mês, o programa recebe cerca de R$ 4 milhões obedecendo a um cadastro realizado pela Secretaria de Assistência Social.  A prefeitura de Macapá ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Compartilhamentos