Compartilhamentos

A Controladoria-Geral da União (CGU) confirmou em reportagem à TV Amapá nesta quinta-feira, 22, que beneficiários incluídos irregularmente no cadastro do Programa Bolsa Família já receberam o benefício. Na quarta-feira, 21, dia em que foi deflagrada a Operação Limos que investiga o caso, foi dito pela Polícia Federal e pelo prefeito Clécio Luis, que não houve recebimento do benefício.

De acordo com o representante da CGU no Amapá, Antonio Santana, os benefícios podem estar sendo pagos desde o mês de agosto do ano passado. “Ainda não temos o número exato de pessoas que receberam o benefício irregularmente, mas teremos esses dados em 30 dias, quando devemos concluir as investigações”, disse Santana.

De acordo com a CGU, as investigações comprovaram a inserção irregular de beneficiários, a partir de agosto de 2014, por meio da manipulação do cadastro único para programas sociais do Governo Federal. Até o momento, com base na documentação analisada, estima-se a inclusão irregular de 800 a 1.000 famílias. O desvio representa um prejuízo potencial da ordem de R$ 1,7 milhão.

A CGU participou da Operação Limos, deflagrada pela Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal (MPF). O objetivo da ação foi desarticular um esquema de fraude no Programa Bolsa-Família, praticada por servidores municipais de Macapá. Três pessoas foram presas pela PF na quarta-feira, mas apenas a secretária de Ação Social, Eliane Gonçalves continua na cadeia.

 

Compartilhamentos