Compartilhamentos

Equipes da Defesa Civil, Exército e prefeitura da capital começaram nesta terça-feira, 27, uma verdadeira operação de guerra para conter o mosquito transmissor da febre chikungunya, o mesmo que também causa a dengue: o aedes aegypti. O trabalho começou pelo Bairro Infraero I, Zona Norte da capital, onde mora o chamado “paciente zero”, o primeiro caso de contaminação da doença em Macapá.

Militar da Defesa Civil elimina possíveis focos do mosquito: trabalho porta a porta

Militar da Defesa Civil elimina possíveis focos do mosquito: trabalho porta a porta

Até o início do ano, todos os casos, mais de 1,4 mil, só tinham sido registrados em Oiapoque, na fronteira com a Guiana Francesa. O plano estadual de combate ao mosquito é uma iniciativa conjunta que envolve 60 militares, entre bombeiros e homens do Exército, além de profissionais do setor epidemiológico do município.

As equipes entram nos imóveis eliminando qualquer objeto que possa ter água parada.  “Encontramos muito entulho nos quintais”, comentou o tenente coronel Veríssimo, da Defesa Civil. O trabalho de porta em porta vai percorrer outros bairros da Zona Norte próximos do Infraero I até o próximo fim de semana. 

Compartilhamentos