Compartilhamentos

Um vídeo de uma câmera de segurança divulgado pela Polícia Civil mostra como o menor acusado de assassinar um professor no Bairro Ipê, Zona Norte de Macapá, foi paciente antes de conseguir entrar e roubar a residência da vítima. Uma bermuda encontrada na casa do suspeito e o depoimento de testemunhas estão entre as principais provas.

Professor abre o portão e conversa seu executor. Assassino já tinha quase desistido de entrar na casa.

Professor abre o portão e conversa seu executor. Assassino já tinha quase desistido de entrar na casa.

As imagens não são bem definidas, mas mostram o suspeito que seria um adolescente de 15 anos na frente da casa da vítima no dia 3 de janeiro. Ele aperta a campainha três vezes. Depois da segunda vez, ele parece desistir diante da demora para ser atendido e começa a caminhar como quem vai embora. Mas logo em seguida volta e aperta de novo na campainha.  

Momentos depois ele foge e chega a cair na saída da garagem. O professor tinha levado 5 tiros

Momentos depois ele foge e chega a cair na saída da garagem. O professor tinha levado 5 tiros

Quem abre o portão é o professor aposentado João Sérgio Tavares, de 61 anos, que aparece sem camisa. Eles conversam calmamente durante alguns instantes, como se o jovem estivesse pedindo algum tipo de orientação ou ajuda. O professor entra e o acusado vai atrás.

Além da bermuda, o menor foi reconhecido por moradores e vizinhos. Foto: Polícia Civil

Além da bermuda, o menor foi reconhecido por moradores e vizinhos. Foto: Polícia Civil

Momentos depois o assassino sai correndo depois de acertar 5 tiros na vítima. Ele chega a cair na saída da garagem, e rapidamente some do alcance da câmera. Os moradores da casa começam a sair desesperados, e vizinhos vão chegando para ajudar. Além do aposentado, o filho dele, Christie Jeferson Vieira, 42, também foi atingido com quatro tiros e continua internado em estado grave na UTI do Hospital de Emergência.

O menor foi apreendido na casa dele, na última quinta-feira, 8, no Bairro Perpétuo Socorro. “A investigação da Polícia Civil descobriu que naquela tarde ele portava uma pistola calibre 380, tentou por três vezes acesso a casa e quando entrou rendeu os moradores procurando por joias e objetos de valor”, disse o delegado Leandro Leite.

O menor foi reconhecido por vizinhos que o viram correndo e também por moradores da casa que presenciaram o crime. A justiça decretou a  apreensão do menor e o mandado foi cumprido pela equipe coordenada pelos delegados Leandro Leite e Celso Pacheco. Na residência do adolescente foi encontrada a bermuda que o acusado estaria usando no dia do crime. 

Compartilhamentos