Compartilhamentos

A Superintendência da Polícia Federal no Amapá realizou na manhã desta quinta-feira, 29, a incineração de 123 quilos de entorpecentes, a maior parte cocaína. O material é proveniente de operações realizadas desde 2008, e que só agora tiveram a liberação da justiça para destruição. Mais operações como essa serão realizadas este ano, graças a uma flexibilização da lei.

De todo o material incinerado, apenas 3 quilos era de maconha. O restante, 120 quilos, era cocaína. Segundo o delegado responsável pela incineração, Bruno Benassuly, a destruição desse material é muito importante para evitar que mais pessoas se viciem. “A cocaína insere a pessoa em um ciclo de vício que a levará para drogas mais pesadas. Por isso a importância de tirar esse material das ruas”, ponderou.

Mudanças nas regras permitirão incinerações mais rápidas

Mudanças nas regras permitirão incinerações mais rápidas

De acordo com o cronograma da PF, mais incinerações devam acontecer em 2015. “Antes tínhamos uma burocracia que impedia a rápida destruição, tudo por conta dos inquéritos que obrigavam com que todo o material fosse mantido para servir nos autos do processo. Mas agora isso mudou. As normas aplicam que qualquer entorpecente apreendido deve ser destruído rapidamente para impedir assim que o material possa voltar as ruas”, acrescentou Benassuly.

O material que foi destruído faz parte de apreensões feitas em várias partes do Amapá, principalmente de ações realizadas em Macapá, Santana e Laranjal do Jarí.

Compartilhamentos