Compartilhamentos

Dos 48 mandados de prisão que estão sendo cumpridos em Macapá por uma equipe de 200 policiais civis e militares, 33 estão sendo executados dentro da Penitenciária Estadual. A operação, que começou às 6 horas desta terça-feira, 20, tem como alvos acusados de assaltos, tráfico de drogas e assassinatos, além de membros de uma facção criminosa nacional que estava se organizando no Amapá.

Delegado Daniel Marsili

Delegado Daniel Marsili

Um dos delegados envolvidos na operação cumpriu três mandados contra dois homens e uma mulher. De acordo com as investigações, Joel Valente Texeira e o casal Driele Gomes Cardoso e Douglas Fernandes Monteiro, fazem parte de uma quadrilha que pratica roubos em Macapá. “Ainda não fizemos um levantamento integrado com os outros delegados porque a operação está em andamento, mas possivelmente todos fazem parte da mesma quadrilha que pratica roubos, assaltos e homicídios”, declarou o delegado da DCCP, Daniel Marsili.

Os oito delegados envolvidos na operação cumpriram mandados nos bairros Marabaixo, Santa Rita, Infraero I, Muca e no Iapen. A operação é deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (Deccp), com apoio da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe), Polícia Interestadual (Polinter), Divisão de Capturas, Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) e Batalhão de Operações Especiais (Bope). O responsável pela operação e o delegado Celso Pacheco.

Até o fim da manhã, os policiais continuavam no Iapen, a fim de concluir o cumprimento dos 33 mandados. Policias civis e militares, com apoio do Bope, fazem buscas no instituto. Trinta e três presos são suspeitos de comandar assaltos, tráfico de drogas e homicídios de dentro do Iapen. De acordo a polícia, existem indícios de que os criminosos são ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC), uma facção criminosa que atua em vários estados e que já teria ramificações no Amapá.

 

Compartilhamentos