Compartilhamentos

Finalizado o relatório de análise do sistema público de saúde, o governador Waldez Góes (PDT) decretou na tarde desta quinta-feira, 22, estado de emergência no setor. Com essa medida, o executivo estadual terá carta branca para movimentar recursos entre pastas para atender as necessidades com mais rapidez.

Segundo Waldez Góes, essa foi a medida encontrada para tentar atender com mais agilidade as pessoas que procuram os hospitais públicos estaduais. “Após realizarmos visitas em todas as unidades de saúde de Macapá e Santana, finalizamos o relatório que dá base para o decreto de estado de emergência. Agora temos 180 dias para movimentar as finanças no sentido de atender as demandas do setor”, explicou.

Aparelho de raio X não funciona há seis meses no HE

O aparelho de Raio X do HE é uma das prioridades do estado de emergência

Para os seis meses de estado de emergência alguns setores terão prioridade. “Fizemos uma lista enumerando as medidas que vamos tomar em três etapas. Todas as semanas estaremos repassando à imprensa informações sobre cada setor que está recebendo melhorias”, disse o secretário de Estado de Saúde, Pedro Leite.

Entre as medidas que serão tomadas a curto prazo, estão o reabastecimento pleno de medicamentos e correlatos para todas as unidades de saúde; revitalização de equipamentos, como o aparelho de raios x do Hospital de Emergência; dinamização do atendimento da Unacon, onde são atendidos os pacientes com câncer; atendimento da demanda reprimida do Programa de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e reestruturação do setor; restabelecimento do sistema de marcação de consultas; e o combate mais enérgico contra o vírus da febre chikungunya, que atinge o Estado.

Já para longo e médio prazos está prevista a instalação do Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), onde serão implantados serviços de quimioterapia, radioterapia e cirurgias oncológicas. “A cada passo estaremos informando a imprensa para que possamos juntos mostrar as mudanças que vão acontecer nos próximos seis meses”, concluiu o governador.

 

Compartilhamentos