Compartilhamentos

Músicos e técnicos que trabalharam nas férias de 2012 e 2013 na programação de verão do município de Santana não sabem mais o que fazer para receber seus cachês. A programação foi organizada pela prefeitura e governo do Estado, mas quase três anos depois nenhum centavo foi repassado para os artistas. Por enquanto, o prejuízo é de R$ 108 mil.

As atrações do “Santana Verão” foram contratadas por meio de um convênio entre prefeitura, GEA e Associação Musical dos Artistas Amapaenses (Amaps), mas apenas as atrações nacionais receberam pelas apresentações.

Ângelo Queiroz: "Desvalorização da categoria"

Ângelo Queiroz: “Desvalorização da categoria”

De acordo com a associação, existem duas situações diferentes. Em 2012, o convênio foi feito com o governo do Estado no valor de R$ 80 mil, mas apenas R$ 20 mil foram repassados. No ano seguinte, o contrato foi de R$ 48 mil com a Secretaria Municipal de Turismo de Santana que, também não pagou os músicos, técnicos de som e profissionais de montagem de palco.  “Na época, solicitamos o pagamento por meio de ofícios, mas tanto a prefeitura quanto o governo, alegavam falta de dinheiro. É uma desvalorização com a categoria. Queremos uma justificativa pra isso, que é um verdadeiro constrangimento”, desabafou o ex-presidente da Amaps no ano de 2012 e atual conselheiro estadual de cultura, Ângelo Rodrigo Queiroz.

Segundo o atual presidente da Associação Musical de Artistas, lacunas no projeto impedem o pagamento dos músicos. “Segundo informações oficiais, nenhum projeto teria sido apresentado. Esse seria um dos entraves do pagamento, além outros trâmites legais. Mas o atual secretário de cultura do estado já se comprometeu em nos pagar”, destacou o atual presidente da Amaps, Carlos Dinelson. 
Para os músicos, a dívida virou questão política. “Não queremos criticar o governo de A ou B, nem a prefeitura, como saiu em algumas matérias. Queremos ser pagos. Só isso”, frisou o músico Éden Junior, da Banda Sedução, que se apresentou no carnaval santanense em 2012 e também não foi pago.

SelesNafes.Com procurou a Secretaria Municipal de Cultura de Santana, mas fomos informados que tanto o secretário quanto o coordenador de eventos foram exonerados na manhã desta quinta-feira, 15. Segundo a assessoria do município, nenhuma informação será repassada. “Não vamos falar sobre isso. Estamos aguardando um relatório técnico e jurídico da procuradoria do município e só depois esclareceremos a situação”, limitou-se a dizer o assessor da PMS, Andrey Mello.

Compartilhamentos