Compartilhamentos

O Centro Integrado de Operações de Defesa Social (ciodes) recebeu no ano passado 3.732 denúncias de crimes praticados por gangues no Estado, 12% a mais que no ano anterior. A maioria das ocorrências envolve adolescentes que praticam furtos, assaltos, brigas e mortes. No fim de semana as duas mortes ocorridas no Estado foram registradas no município de Porto Grande, distante 100 quilômetros de Macapá. Um dos homicídios tem características de acerto de contas entre gangues.

O caso mais grave ocorreu na Praça Cívica do município. Por volta das 23 horas do domingo, 18, o Ciodes foi informado que o cadáver de Aquinis Robson Aranha Braga, de 36 anos foi encontrado na Rua Antônio da Silva Santos. Segundo a ocorrência, a vítima teria sido morta a tiros. “Existem mortes por acerto de contas na cidade e no interior. Só que no interior as gangues vão para enfrentamento. Na capital isso é mais difícil”, explicou o assessor de comunicação da PM, capitão Pedro David.

Segundo o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Porto Grande tem uma área de 4.402 km2, habitada por uma população de 16.825 pessoas. De acordo com o Comando Geral da PM, cerca de 60 policias cuidam da segurança do município. Para o 7º Batalhão do Porto Grande, o aumento do contingente policial poderia inibir essas mortes. “Temos um efetivo relativamente pequeno para o tamanho do município. Não podemos estar em todos os lugares, mas se tivéssemos mais homens poderíamos diminuir e até inibir essas rixas”, afirmou um policial militar do município que preferiu não se identificar.

Compartilhamentos