Compartilhamentos

Moradores do conjunto Mestre Oscar Santos estão desde domingo passado sem água nas torneiras. Eles dizem que durante a madrugada, quando pinga alguma coisa até conseguem encher alguns baldes para as necessidades básicas. Nesta quinta-feira, 05, uma comissão de representantes da prefeitura, Caixa Econômica Federal, Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), Vex Construtora e Associação de Moradores esteve no conjunto para conferir in loco o problema.

Durante a visita foi definido entre as equipes que a Vex Construtora, responsável pela execução da obra, repassará os projetos à Caesa, que terá 10 dias para  analisar o relatório com medidas necessárias para resolver o problema. Como solução imediata, foi acordado que será designada uma equipe da Associação de Moradores que ficará responsável pela operação do sistema, evitando assim o desabastecimento de água.

Reunião: técnicos e moradores em busca de solução

Reunião: técnicos e moradores em busca de solução

 “Após a emissão do relatório, a Companhia de Água e Esgoto emitirá Termo de Recebimento Provisório. E receberá definitivamente o sistema após a execução das ações complementares para manter o abastecimento em perfeito estado”, afirmou a diretora-presidente da Caesa, Patrícia Brito. Mas a Caesa não tem apenas o abastecimento de água para cuidar. Terá que administrar o problema do lançamento de esgoto no Loteamento Sol Nascente, que fica ao lado do conjunto Oscar Santos.

Após o recebimento definitivo, a Companhia ficará responsável pelo sistema, garantindo abastecimento de água e manutenção da rede de esgoto. “A Prefeitura de Macapá quer garantir o fornecimento de água tratada na quantidade e qualidade exigida pelas mais de 500 famílias do conjunto Mestre Oscar, e ainda pelo tratamento adequado dos efluentes provenientes da estação de tratamento de esgoto. A medida vai garantir a saúde dos moradores, tanto do conjunto Mestre Oscar quanto do Loteamento Sol Nascente, além de resguardar a área de proteção permanente que existe entre os dois locais”, enfatizou o secretário de Obras de Macapá, Rogério Cardoso.

Compartilhamentos