Compartilhamentos

Se depender dos taxistas, a corrida vai ficar mais cara em Macapá. A categoria iniciou a negociação de um reajuste com a prefeitura, mas, enquanto o valor não é definido, o sindicato vai pedir que o prefeito Clécio Luis (Psol) baixe um decreto estabelecendo a “bandeira 2”.

A tarifa hoje é de R$ 3 e não é reajustada desde 2012. O recentemente aumento no preço do litro da gasolina pressionou os custos dos taxistas. Eles querem que a tarifa suba para R$ 4,15.

Reunião entre diretores da Ctmac e dirigentes do sindicato dos taxistas

Reunião entre diretores da Ctmac e dirigentes do sindicato dos taxistas

 

Para convencer a Companhia de Trânsito de Macapá (Ctmac), o sindicato precisará apresentar planilhas que demonstrem custos com manutenção, abastecimento, impostos e outras despesas. “Temos que encontrar um valor justo para o usuário e para os taxistas”, diz o presidente do Sindicato dos Taxistas de Macapá, Risonilson Barros.

Enquanto o valor não é definido, os taxistas querem rodar em bandeira 2, o que eleva o quilômetro rodado de R$ 3 para R$ 3,60, um acréscimo de 20%. Além disso, o taxímetro mudará a cada 80 metros. Em bandeira 1, a mudança ocorre a cada 100 metros percorridos.

A categoria tem cerca de 920 táxis na capital que geram trabalho para cerca de 2 mil profissionais. Uma reunião na Ctmac no fim da manhã desta terça-feira, 10, começou a discutir o assunto.

Compartilhamentos