Compartilhamentos

 Todas as barracas que vão comercializar bebidas e alimentos no Sambódromo nos dias 14 e 15 de fevereiro, quando acontecem os desfiles das escolas de samba, serão fiscalizadas pelo Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon). O objetivo é verificar a validade de comidas e bebidas, além de manter uma tabela de preços justa.

Segundo o Procon, a venda de ingressos, meia-entrada, abadás e fantasias, também será fiscalizada. Mas o objetivo não é aplicar multas. “Queremos orientar e conscientizar os empreendedores da importância da validade de comidas e bebidas. Nosso trabalho será de aplicação do Código de Defesa do Consumidor. Vamos ter um barraca para atender reclamações”, ressaltou a chefe de fiscalização do Procon, Marcela Queiroz.

No ano passado fiscais do Procon fez o mesmo trabalho

No ano passado fiscais do Procon fizeram o mesmo trabalho

Cerca de 10 fiscais e monitores farão ronda nos dois dias de desfile para que as normas sejam respeitadas. Em caso de irregularidades, os proprietários e empresas podem receber multas que variam de R$ 416 a R$ 6 milhões.

Um trabalho preventivo será realizado pelo Procon na semana que vem durante reunião da equipe técnica do Instituto com os responsáveis pelas vendas de bebidas, alimentos e ingressos no Sambódromo. 

 

Compartilhamentos