Compartilhamentos

O senador Randolfe Rodrigues (Psol) fez duras críticas à gestão do município de Santana, a segunda cidade mais populosa do Amapá com cerca de 100 mil habitantes. A prefeitura, segundo ele, está prestes a perder milhões em emendas por pura falta de interesse do prefeito Robson Rocha (PTB), seu ex-aliado. Aliás, Rodrigues foi mais além ao dizer que está profundamente arrependido de tê-lo apoiado nas eleições de 2012.

Esburacada, Santana pode perder R$ 3 milhões em emendas

Esburacada, Santana pode perder R$ 3 milhões em emendas

O descontentamento tem uma explicação. Randolfe se queixa da grande quantidade de dinheiro federal que a prefeitura de Santana tem perdido por falta de projetos.  Ele citou como exemplo R$ 400 mil para pavimentação de ruas, R$ 300 mil para revitalização da Praça Cívica, R$ 500 mil para reforma de unidades de saúde, e R$ 111 mil para compra de equipamentos da rede de saúde. Em nenhum desses investimentos a prefeitura se mobilizou para transformar em obras. “Na capital temos conseguido recurso federal e o prefeito tem trabalhado, assim como em Porto Grande e outros municípios. Mas aqui as emendas andam a passos de tartaruga”, criticou o senador.

Randolfe lembrou que a única obra recentemente inaugurada em Santana com recursos de emenda parlamentar de sua autoria foi o Cartório Eleitoral, que foi uma obra tocada pelo Poder Judiciário. No total, Santana tem garantidos mais de R$ 3,2 milhões de emendas do senador. “Já ouvi de representantes da prefeitura que os recursos que temos conseguido não são interessantes. Achei um absurdo, principalmente para uma cidade como Santana que está com um aspecto de total abandono”, comentou.  

Randolfe durante as obras do Cartório Eleitoral: única construção realizada em Santana com emenda de sua autoria

Randolfe durante as obras do Cartório Eleitoral: única construção realizada em Santana com emenda de sua autoria

Memorial

Outra polêmica envolve o famoso projeto do memorial das vítimas do naufrágio do “Novo Amapá” (acidente ocorrido em 1981 e que matou mais de 400 pessoas). A prefeitura perdeu a emenda de R$ 300 mil para a construção do monumento que, segundo Robson Rocha, também abrigaria os restos mortais das vítimas. “Em nenhum momento, quando pensamos no projeto, o prefeito me disse que seria para transferir os restos mortais. O maior naufrágio fluvial do mundo tem que ser lembrado como um ponto de homenagem e visitação, e não como solução para a superlotação do cemitério de Santana”, frisou.

O senador se disse decepcionado com a gestão de Robson Rocha, e arrependido por tê-lo apoiado como candidato a prefeito.  “Apoiei, me arrependo e peço perdão. Assim como eu, o povo de Santana está sendo enganado”, concluiu.

O site SelesNafes.Com tentou ouvir o prefeito Robson Rocha, mas ele não retornou as ligações.

Compartilhamentos