Compartilhamentos

Depois de decretar situação de emergência na área da saúde, o governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), repetiu a inspeção que já tinha feito no início do ano em unidades da rede hospitalar do Estado. Acompanhado de uma equipe técnica, ele visitou o Hospital de Emergência e a Maternidade Mãe Luzia na manhã desta quinta-feira, 19, e, apesar de algumas cenas serem diferentes, problemas graves ainda persistem, entre eles a superlotação e a falta de medicamentos e equipamentos. Entretanto, o governador avaliou que a situação é melhor do que há dois meses.

Um dos principais gargalos foi contornado: a longa e demorada fila de cirurgias ortopédicas que geraram pelo menos 3 protestos de pacientes em frente ao hospital no ano passado. Dos 127 pacientes que aguardavam há meses pela cirurgia, faltam atender apenas 27 pessoas. “Muito já foi feito e a equipe tem competência para isso. Existe muito trabalho a fazer, servidores para pagar, mas ver a rampa do HE sem pacientes já é uma melhora“, declarou o governador do Amapá, Waldez Góes, lembrando que no fim do ano passado a rampa tinha virado um acampamento de pacientes por causa da demora na realização das cirurgias.

A equipe técnica visitou todas as salas, enfermarias e corredores do HE. Muito pacientes reclamaram de falta de informação e medicamentos, além de enfermarias sem ar condicionado e ventilação adequada. “Eu estou com uma infecção há dias, mas não tem medicamento para isso. Não tenho previsão de cirurgia, mas meu nome está na lista de espera”, frisou o paciente Isaac da Silva Lopes, que aguarda cirurgia para reconstrução do fêmur há 9 dias.

Pacientes reclamando do calor dentro do HE. Fotos: Cássia Lima

Pacientes reclamando do calor dentro do HE. Fotos: Cássia Lima

Além do mutirão de cirurgias, o governo avaliou que houve medidas para melhorar o HE, como o pregão eletrônico para compra de equipamentos e medicamentos, proceso que ainda está em fase de andamento. “O contrato para a compra de equipamentos já está assinado, mas temos cuidado nesse processo, já que vamos fazer reforma em um hospital que têm pacientes dentro. Assim vamos melhorando aos poucos. Na próxima visita acreditamos que esse espaço estará melhor”, ressaltou o secretário de Saúde, Pedro Leite.  

Nesta quinta-feira ainda existiam 10 pacientes nos corredores esperando cirurgia. O Hospital de Emergência possui apenas 108 leitos. Ainda durante a manhã, o governador visitou a Maternidade Mãe Luzia. Um relatório com problemas detectado será preparado pela Secretaria de Saúde do Estado. O governo articula com a bancada federal a liberação de mais de R$ 30 milhões para investimentos na rede de hospitais.

Isaac Silva esperando pela cirurgia há mais de uma semana

Isaac Silva esperando pela cirurgia há mais de uma semana

 

Compartilhamentos