Compartilhamentos

Técnicos do Distrito Sanitário Indígena de Macapá estão isolados desde a semana passada em uma aldeia da missão Tiriós, na região do Parque do Tumucumaque.  Os funcionários, entre eles um médico cubano, estão sem alimentação há 4 dias.

Uma das técnicas, Merabe Mendonça, informou pelas redes sociais que eles já deveriam ter sido transportados de volta para Macapá em um avião do Distrito Sanitário Indígena há uma semana. “Estamos sem comida há 3 dias. Um médico cubano já está pensando e atravessar até o Suriname para pedir ajuda”, relatou ela nas redes sociais. O grupo só tem acesso à internet porque próximo da aldeia existe uma base da Aeronáutica.

A diretora do Distrito Sanitário Indígena (Dsei), Nilza Pureza, admitiu o problema, mas disse que o avião fretado pelo distrito para buscar os funcionários tenta há dias pousar na aldeia, mas é impedido pelo mau tempo. Ainda não há previsão de quando o transporte será realizado.

Compartilhamentos