Compartilhamentos

Uma campanha da prefeitura de Macapá, Diocese de Macapá, Confraria Tucuju e Memorial Amapá, pretende angariar recursos para a restauração do mais antigo patrimônio histórico de Macapá, a igreja Matriz de São José. Com 254 anos de história, a igreja enfrenta sérios problemas com goteiras, infiltração, ataque de cupins e rachaduras. A campanha foi definida nesta sexta-feira, 20, em reunião na biblioteca pública Elcy Lacerda. Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a igreja corre risco de desabamento, principalmente na parte da torre esquerda.

Reunião que definou competências e o início dos trabalhos

Reunião que definiu competências e o início dos trabalhos

Hoje também foi publicada no Diário Oficial do Estado a lei de autoria do deputado Moisés Souza (PSC) que efetiva o tombamento estadual da igreja, o que aumenta a expectativa com relação a revitalização do patrimônio do povo católico. “Esperamos que ocorra também um tombamento municipal para alcançarmos forças e propormos o tombamento pelo Iphan. Esse monumento é a nossa história viva, precisamos preservar. Caso contrário, ele pode vir abaixo”, destacou a presidente da Confraria Tucuju, Telma Duarte.

A prefeitura de Macapá defende que o tombamento precisa ser feito pela UNESCO também, já que o monumento tem mais de 250 anos. “Vamos levar essa reivindicação ao Governo do Estado na próxima quarta-feira. A igreja é nosso bem mais precioso e precisa ser interditada imediatamente. É uma situação séria e imediata”, frisou o prefeito de Macapá, Clécio Luís.

Joana Morillos: o Amapá tem força política para fazer com que o tombamento seja feito pelo IPHAN

Joana Morillos: o AP tem força política para fazer com que o tombamento seja feito pelo Iphan

Na reunião ficou acertado que a prefeitura fará o projeto de reforma emergencial do prédio. O combate aos cupins será prioridade agora. “É importante ressaltar que o Iphan quer esse tombamento. Sabemos que a Igreja passou por mudanças em relação ao projeto original, mas o tombamento irá disputar com outras igrejas que estão intactas há mais tempo. Porém, com a força da nossa bancada esse sonho pode ser mais rápido”, ressaltou Joana Morillos, presidente do Iphan no Amapá.

A história

A Igreja de São José de Macapá foi iniciada em 1752, seis anos antes da criação oficial da Vila de São José de Macapá. A igreja Matriz foi inaugurada no dia 5 de março de 1761, sendo o padre Joaquim Pair o seu primeiro vigário. A imagem original do padroeiro São José, esculpida em madeira, tem 35 cm de altura, sendo considerada uma das relíquias sacras mais importantes do Estado. Nas paredes os quadros do padre Lino, retratam as belezas de passagens bíblicas. Do lado esquerdo de quem entra está Os Desterrados, ou fuga para o Egito; a direita de quem entra, São José Carpinteiro e Menino Jesus. Já houve um período em que a paróquia ficou sem vigário por 40 anos. Em 1904 o padre Francisco Hiller e o intendente coronel Teodoro Mendes restauraram a igreja.

 

Compartilhamentos