Compartilhamentos

Foi sepultado no fim da manhã desta quinta-feira, 26, em Belém do Pará, o corpo do médico Antônio Dias de Miranda, de 67 anos. Ele estava internado no Hospital da Mulher, em Belém, onde faleceu às 23 horas de quarta-feira durante o agravamento de um mieloma, uma doença hematológica incurável com origem na medula óssea.

“Drᵒ Miranda”, como era conhecido, vinha ocupando a vice-presidência do Conselho Regional de Medicina. Natural do Pará, em 1983 ele se formou na UFPA se especializando em ginecologia e obstetrícia, além de medicina do trabalho.  Ele também era membro da equipe médica do Hospital São Camilo no Amapá e da Unidade Básica de Saúde da Universidade Federal do Amapá (Unifap). Ele ainda atuava professor voluntário do curso de medicina da Unifap.

Em 2008, foi eleito conselheiro do CRM e, em 2013, tomou posse como vice-presidente. Para o presidente do conselho, Dorimar Barbosa, a perda deixa uma lacuna e um legado de obras de cunho coletivo.  “Com certeza ele deixa um legado para muitos, entre pacientes e cidadãos amapaenses”, lamentou.

Outra característica era o visual marcado sempre por um chapéu branco. O corpo foi sepultado às 11 horas no Cemitério Parque da Eternidade, em Belém do Pará.  O local da realização da missa de sétimo dia ainda será definido, mas a família antecipou que a cerimônia também ocorrerá em Belém onde reside a maioria dos familiares do médico. Drᵒ Miranda deixa a esposa Suely Maria Miranda de Miranda e dois filhos.

Compartilhamentos