Compartilhamentos

A Polícia Técnico-Cientifica removeu no início da tarde desta quinta-feira, 12, o corpo de Celso Vilhena Lobato, de 32 anos, conhecido como “Chacará”, na Praça da Escola Coelho Neto, Bairro do Buritizal. Ele foi executado com dois tiros por um homem já identificado, mas que não teve o nome divulgado pela Polícia Militar. Segundo testemunhas, a execução foi um acerto de contas. A vítima teria participado do assassinato de um homossexual em fevereiro.

De acordo com 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM), a vítima estava bebendo com três homens na praça quando foi surpreendido com dois tiros à queima roupa. “As testemunhas disseram que dois homens chegaram de bicicleta e o passageiro disparou dois tiros bem na nuca dele”, informou o sargento Antônio Rodrigues.

Chacará passava o dia consumindo álcool e crack

Chacará passava o dia consumindo álcool e crack

De acordo com a polícia, a vítima já teria sofrido um atentado no mês passado, quando chegou a ser esfaqueado levemente no abdômen. O crime teria sido motivado porque Chacará confessou ter participado da morte de um homossexual na Feira do Produtor do Buritizal no ano passado.  

O pai de Chacará informou à polícia que o filho era viciado em álcool e crack. A vítima passava o dia ingerindo bebida alcoólica e se drogando com um grupo de usuários na Praça da Escola Coelho Neto. Até às 14 horas nenhum suspeito havia sido preso.

Compartilhamentos