Compartilhamentos

O governo do Estado anunciou na noite da segunda-feira, 16, que pode fazer uma intervenção na Estrada de Ferro do Amapá (EFA), hoje administrada pela mineradora indiciana Zamin. Na verdade, esse patrimônio está abandonado. Os trens não circulam desde o início do ano e a ferrovia foi alvo de inspeção recentemente por uma comissão do governo.

O tempo de abandono gerou danos na ferrovia, de acordo com o subprocurador do Estado Julhiano César. “O parecer jurídico defende o direito ao Governo do Estado de passar a ter a responsabilidade de cuidar da ferrovia. O processo foi enviado à Secretaria de Estado do Transporte, instituição responsável pelo trabalho, que deve definir as principais medidas que serão tomadas para que a estrada de ferro volte a funcionar”, explicou.

A ferrovia paralisou porque a extração de minério de ferro também está interrompida no município de Pedra Branca do Amapari.  A paralisação é reflexo da crise da mineradora que deve quase R$ 200 milhões para fornecedores, funcionários e empresas terceirizadas e não consegue concluir a montagem do novo porto flutuante no município de Santana, no mesmo lugar onde o primeiro desabou matando 6 operários em março de 2013.

O prazo dado pelo governo para que a empresa se pronuncie sobre o abandono é longo, 180 dias, mas a intervenção poderá ocorrer nos próximos 30 dias. 

Compartilhamentos