Compartilhamentos

A Polícia Civil já tem um suspeito de ter matado a empresária Antônia Leite Guimarães, de 52 anos, no último sábado, 14. Testemunhas descreveram um homem como a última pessoa a ser vista na companhia da vítima, que teve o corpo encontrado na manhã do domingo, 15, no Loteamento São José, na Zona Norte de Macapá.

Testemunhas informaram que o suspeito estava conversando com a vítima na tarde do sábado, horas antes do homicídio. A polícia conseguiu rastrear o celular da vítima que desapareceu no dia do crime e descobriu que ele foi vendido pelo suposto assassino. “Esse mesmo suspeito foi reconhecido pela pessoa que comprou o celular da empresária no Centro Comercial. O comprador reconheceu a foto do suspeito e ainda informou que o mesmo tinha marcas de arranhões nos braços”, contou o delegado Alan Moutinho, responsável pelo caso.

Os arranhões descritos pela testemunha batem com a perícia feita no corpo da vítima ainda no local do crime. A empresária estava com as unhas quebradas. “Agora estamos aguardando a justiça decretar a prisão do suspeito. No momento ele é tido foragido, pois não foi encontrado para prestar depoimento sobre o caso”, explicou o delegado, que informou que a identidade do suspeito ficará em sigilo até que o mesmo seja preso.

Antônia Rodrigues foi sepultada na última segunda-feira, 16. Ela era casada e o marido, que estava viajando para Oiapoque, só ficou sabendo da morte da esposa quando chegou em Macapá. Ela era proprietária de uma fábrica de vassouras.A vítima foi morta dentro do carro que havia comprado no fim do ano passado. 

 

Compartilhamentos