Compartilhamentos

Termina neste domingo, 8, em Macapá, a 7ª edição do Festival “Quebramar”. Dentre as atividades da programação, destaca-se a apresentação do cantor Moraes Moreira, a principal atração do último dia de eventos. Além de 20 bandas locais, atrações nacionais, atividades esportivas, apresentação de cinema, poesia e economia criativa em três pontos da capital. A expectativa da coordenação do evento é atrair um público de 15 mil pessoas.

Otto Ramos: precisamos de mais apoio

Otto Ramos: precisamos de mais apoio

O Quebramar é patrocinado pela Petrobrás, por meio do Programa Petrobrás Cultural, além de ter o apoio da prefeitura de Macapá. A programação envolve também ações de artes visuais e cênicas, cultura digital e meio ambiente. As ações ocorrem no Ceu das Artes, Centro de Convenções Azevedo Costa e no Anfiteatro da Fortaleza de São José de Macapá.

Nesses últimos dias do Festival ainda terá debates de reforma política, circulação de bens culturais e crise hídrica no Brasil. Mas apesar de possuir 40 colaboradores na coordenação do evento, existem muitas dificuldades de produção do festival mais independente e colaborativo da Amazônia. “Mesmo com o incentivo, o festival necessita de um apoio local de artistas, jornalistas e governo. O importante é que cada vez mais existe uma participação de diversos públicos. A cidade está entendendo o festival e abraçando a causa independente”, frisou um dos produtores do Quebramar, Otto Ramos.

O festival já trouxe a Macapá músicos nacionais de renome como Arnaldo Antunes e a Banda Teatro Mágico. Dessa vez o destaque é para Moraes Moreira e Davi Moraes, membros da Banda Novos Baianos. O show de pai e filho deve homenagear os 40 anos do disco Acabou Chorare, obra-prima dos Novos Baianos. A dupla encerra a sétima edição do Festival Quebramar neste domingo, 8.

 

Compartilhamentos