Compartilhamentos

A polícia não tem pistas da pessoa que atropelou dois assaltantes matando um deles na Rodovia Duca Serra, por volta das 21 horas do sábado, 21. Os dois haviam acabado de fazer um arrastão em uma parada de ônibus na rodovia. A suspeita é que o atropelamento tenha sido proposital, principalmente porque o veículo desapareceu e a velocidade dele na hora do impacto era muito grande. 

Cristiano dos Santos da Silva, de 17 anos, o “Bros”, e Rosenildo Tavares Pereira, de 22 anos, o “Bené”, chegaram armados e de bicicleta em uma parada de ônibus onde renderam todas as pessoas que aguardavam o coletivo.

Depois de recolher dinheiro e celulares das vítimas, eles fugiram em direção ao Bairro Jardim de Deus, atrás da antiga lixeira pública de Santana. Uma viatura do Batalhão de Policiamento Rodoviário chegou a cruzar com os dois e desconfiou. Quando os policiais decidiram voltar para fazer a abordagem, encontraram com as vítimas dos assaltantes pedindo socorro.

Corpo precisou ser removido no carro de uma funerária

Corpo precisou ser removido no carro de uma funerária. Fotos e Reportagem: Jair Zemberg

Minutos depois a viatura alcançou os dois assaltantes que já haviam sido atropelados. Cristiano morreu na hora com a cabeça esmagada. Rosenildo está internado em estado gravíssimo no Hospital de Emergência de Macapá.

A polícia desconfia que o parente de uma das vítimas da parada de ônibus decidiu ir atrás dos assaltantes e os atropelou. Por enquanto não há pistas do carro. A polícia vai tomar o depoimento de todas as vítimas nesta segunda-feira, 23, para tentar chegar à identidade do atropelador.  

Durante o atendimento da ocorrência um fato chamou atenção. A Polícia Técnica não tinha “carro-tumba” para fazer a remoção do  corpo de Cristiano. O serviço foi feito pelo carro de uma funerária. 

Compartilhamentos