Compartilhamentos

Os aprovados no concurso público realizado em 2012 pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) que ainda não foram chamados podem ter mais uma chance de fazer parte dos quadros da Sesa. É que o deputado estadual Dr. Furlan (PTB) conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 18, dois requerimentos que tratam do Plano de Cargos e Salários do Grupo Saúde (PCSS). Eles visam a criação de vagas no setor da saúde, viabilizando a quinta chamada dos aprovados no concurso.

O primeiro requerimento solicita ao governo do Estado, através da Secretaria de Saúde, que seja feito um levantamento da necessidade de pessoal para que sejam criados subsídios para a ampliação do quadro saúde, possibilitando a realização da chamada dos concursados.

Novas vagas para profissionais de saúde podem ser abertas pela Sesa

Novas vagas para profissionais de saúde podem ser abertas pela Sesa

O outro requerimento solicita ao governo o arquivamento do Projeto de Lei do Executivo nº 13/2014, que trata da alteração do anexo I da Lei 1.059 de 29 de setembro de 2006, que também trata do PCSS. O projeto estabelece o quantitativo de vagas necessárias para atender a demanda de profissionais da Sesa. Com o arquivamento, a Sesa fica liberada para criar novas vagas.

De acordo com o deputado, no período de dois anos, foram publicados quatro editais de convocação para provimento de cargos de profissionais aprovados no concurso de 2012 feitos pela Sesa sem que fosse feito o planejamento da real necessidade de pessoal para a alocação nas unidades de saúde do estado. “E, mesmo assim, há uma carência de profissionais nas unidades hospitalares para desempenhar os serviços de assistência à saúde, principalmente os de média e alta complexidade, como centros cirúrgicos e UTI´s,”, afirmou Dr. Furlan.

 “O governador Waldez já percebeu a necessidade urgente de contratar os concursados. Mas ele não pode fazer isso sem que a Assembleia aprove a lei que aumenta os cargos que estão em carência. É por isso que requeremos ao Executivo que arquive o projeto incipiente e envie o mais rápido possível o projeto com a real necessidade dos atuais serviços de saúde e dos que estão para ser inaugurados”, explicou o deputado. 

 

Compartilhamentos