Compartilhamentos

Um médico do município de Amapá, a 380 quilômetros de Macapá, tinha praticamente um zoológico em casa. Uma equipe do Ibama encontrou pelo menos 40 animais silvestres que viviam em cativeiro na propriedade dele. Os espécimes foram transferidos para o Centro de Animais Silvestres (Cetas), em Macapá, e chegaram na noite de quinta-feira, 9.

Quelônios eram mantidos em tanque

Quelônios eram mantidos em tanque

As equipes tinham uma denúncia anônima de que o médico recebia animais silvestres como pagamentos por consultas, mas isso ainda está sendo investigado. O fato é que ele realmente guardava os espécimes em sua propriedade.

“Macaco de cheiro” vivia amarrado

“Macaco de cheiro” vivia amarrado

Foram encontradas várias espécies de aves e macacos, além de antas, pacas e até um filhote de onça. Os fiscais também acharam dois jacarés mortos. Eles foram incinerados. O médico será multado e responderá criminalmente por tráfico de animais.

Outros viviam em gaiolas ao lado de araras

Outros viviam em gaiolas ao lado de araras

“Quando isso ocorre com alguém com menos instrução a gente até compreende que a pessoa não tinha conhecimento da lei, mas neste caso é uma pessoa com nível superior”, avalia o superintendente do Ibama, César Luiz.

Agora os animais irão passar por avaliações clínicas. Os que estiverem em condições poderão ser devolvidos logo para a natureza. 

Anta apreendida

Anta apreendida. Fotos: Ibama

 

Compartilhamentos