Compartilhamentos

O suspeito de ter matado a empresária Antônia Leite Guimarães, de 52 anos, por esganadura, no dia 14 de março no Loteamento São José, Zona Norte de Macapá, se entregou na Delegacia de Homicídios nesta sexta-feira, 10. César Gomes da Costa, 20 anos, se negou a responder qualquer pergunta feita pelo delegado Alan Moutinho, responsável pelas investigações do caso.

O pedido de prisão do suspeito foi concedido pela Justiça na última semana de março, quando ficou confirmado que ele foi a última pessoa a ser vista na companhia da empresária. “Com o mandado de prisão em mãos começamos as buscas pelo suspeito. Logo em seguida ele nos avisou, através de um advogado, que se entregaria nesta sexta-feira. Mas no primeiro questionamento César Gomes disse que só falaria sobre o crime diante do juiz”, informou o delegado.

Delegado Alan Moutinho: o suspeito não quis falar

Delegado Alan Moutinho: o suspeito não quis falar

Como o suspeito não prestou depoimento, o delegado pediu um teste de DNA para verificar se os vestígios encontrados nas unhas da empresária são compatíveis com o material de César Gomes. “No primeiro momento ele aceitou fazer o exame, mas quando chegou na Politec resolveu não fazer mais o teste”, contou Alan Moutinho.

Além de ser apontado por testemunhas como sendo a última pessoa vista com a empresária, outra testemunha ajudou nas investigações. Trata-se da pessoa que comprou o celular roubado da empresária, que repassou as características que batem com as de César Gomes. Outra prova que comprovaria, ou não, a participação dele no crime, seria o exame de DNA, pois foram recolhidos vestígios da pele do assassino das unhas da vítima que arranhou seu agressor quando foi estrangulada.

Compartilhamentos