Compartilhamentos

O Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (Sinsepeap) avalia a proposta de 4% de reajuste feita pela prefeitura de Macapá em reunião na tarde de ontem, 16. A categoria formada por 3 mil profissionais da educação entrou em greve na última quinta-feira, 16, pedindo reajuste salarial de 13,01%. A classe deve se posicionar sobre a proposta na próxima segunda-feira, 20, em assembleia geral.

O Sinsepeap afirma que 90% dos professores municipais aderiram ao movimento. Segundo a Secretaria de Educação, as escolas municipais da capital tem 35 mil alunos matriculados em 80 escolas nas áreas urbana e rural.

“Iremos apreciar a proposta com toda a classe na próxima segunda. Mas podemos dizer que estamos unidos nessa luta por melhores condições pra os trabalhadores e alunos”, destacou o vice-presidente da executiva municipal do Sinsepeap, Ailton Costa.

Professores na quinta-feira, 16, primeiro dia de greve

Professores na quinta-feira, 16, primeiro dia de greve

Os professores também pedem progressões e promoções atrasadas, além de melhores condições de trabalho. Mas a prefeitura alega que não há orçamento suficiente para reajustar maiores valores.

“Reajustamos tudo que podíamos. Mas as pessoas devem entender que o cenário não é favorável e que a prefeitura pouco arrecadou em 2014. Entendemos a reivindicação, mas isso é o que podemos atender”, argumentou o secretário de Administração de Macapá, Carlos Michel Miranda

O Sinsepeao ainda não informou a hora e o local da assembleia.

Compartilhamentos