Compartilhamentos

A expectativa era de reunir mais de 3 mil pessoas, mas pouca gente se aventurou a sair de casa e comparecer na Praça da Bandeira, no Centro de Macapá, para o ato de protesto contra o governo da presidente Dilma Roussef (PT). Por causa da chuva, os organizadores decidiram cancelar o evento.

O ato estava sendo organizada pela União dos Estudantes Secundaristas do Amapá (Uecsa), estudantes da Unifap, Ueap e representantes de movimentos culturais, como o pessoal do hip-hop, roqueiros e punks. A ideia também era atrair as famílias, a exemplo do que ocorreu no protesto do último dia 15 de março.

A concentração foi marcada para a Praça da Bandeira, a partir das 15 horas. A caminhada percorreria a Avenida FAB, Rua Leopoldo Machado, Avenida Padre Júlio Maria Lombaerd, Rua Cândido Mendes e dispersão na Praça do Coco, Complexo Beira-Rio.

Com a chuva forte que começou ainda pela manhã, só alguns organizadores, o pessoal do trio elétrico e policiais militares compareceram à Praça da Bandeira. “Vamos nos reunir para remarcar para outra data, provavelmente para um dia de semana”, adiantou Renan Santos, um dos organizadores do ato.  

 

Compartilhamentos