Compartilhamentos

Depois de paralisar a construção da ponte sobre o Rio Matapi, no último dia 3, a empresa CR Almeida ainda não decidiu o destino de seus 430 operários. A empresa também não tem mais esperanças de receber os pagamentos atrasados no próximo dia 10, como prometeu o governo do Estado. É que o governo precisou entrar na Justiça para conseguir a última certidão negativa que falta para voltar a receber recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A situação é complicada.

A ponte já tem 388 metros contínuos de passarela.

A ponte já tem 388 metros contínuos de passarela

Todas as obras da ponte R$ 90 milhões e 600 metros de comprimento foram suspensas, com exceção da concretagem dos vãos que interligam a estrutura. A empresa completou 3 vãos, totalizando 388 metros contínuos de ponte. Falta fechar apenas 2 vãos, o que deve acontecer até sexta-feira, 10.

A previsão oficial de entrega da ponte é junho de 2015. “Estamos realizando as últimas concretagens e desmontando as treliças que precisam ser devolvidas para a empresa de Belém”, informou um diretor da empresa.

Depois de sexta-feira, a obra vai parar 100%. Por enquanto o clima é de incerteza para os operários. Cerca de 280 são contratados diretamente pela CR Almeida, e outros 150 são de uma empresa terceirizada.

A empresa analisa se pode voltar a da férias coletivas, a exemplo do que ocorreu em dezembro

A empresa analisa se pode voltar a da férias coletivas, a exemplo do que ocorreu em dezembro

Como de 24 de dezembro do ano passado a 5 de janeiro eles tiveram férias coletivas, a empresa ainda estuda se será possível conceder um novo período coletivo de descanso.

Os atrasos de pagamento começaram em agosto do ano passado, mesmo assim a empresa manteve a obra em andamento. O governo do Estado conseguiu uma decisão favorável para ter a Certidão Nacional Previdenciária (CNP), mas precisou ir até o Supremo Tribunal Federal (STF) para obter a Certidão Nacional de Débito (CND) que foi negada pela Receita Federal.

Por mais que o STF decida agora favorável ao governo do Estado, o BNDES deve demorar pelo menos 15 dias para fazer o desembolso. Ou seja, agora só um milagre faz a obra continuar na semana que vem.

Compartilhamentos