Compartilhamentos

Um problema de comunicação entre a CEA e a Caesa resultou num acidente que afetou a rede de distribuição de água deixando quase toda a capital sem o produto nas torneiras nesta terça-feira, 7. O abastecimento ficou de ser normalizado a partir das 23 horas.

O acidente foi causado por uma empresa contratada pela CEA para realizar serviços na rede de fornecimento de energia. Os trabalhos se concentravam no Bairro Alvorada, próximo do comando do Exército, quando uma máquina atingiu a tubulação de 400 milímetros. “A pressão da água era tão grande que precisamos interromper o abastecimento para toda a cidade até que os reparos sejam concluídos”, informou a presidente da Caesa, Patrícia Brito, por volta das 19h30.

Todos os bairros ficaram sem água, com exceção do Congós, Fazendinha e do Cabralzinho por possuírem sistemas isolados. No restante da Zona Oeste o abastecimento é feito com poços residenciais.

Oficialmente 38 mil unidades consumidoras cadastradas na Caesa foram afetadas, sem falar dos imóveis que são abastecidos e não estão no sistema da companhia.

É grande a possibilidade de o rompimento da adutora ter sido provocado por falha na comunicação entre as duas estatais. “A equipe não sabia direito a posição da rede. Convidei o presidente da CEA, ele esteve aqui, e ficamos de nos reunir para conversarmos a respeito e assim evitar outros transtornos”, comentou Patrícia.

A empresa que provocou o dano se comprometeu a arcar com os custos dos reparos, cujo valor ainda não foi calculado pela companhia. O reparo terminou por volta das 19h30, mas ainda seria necessário esperar pelo menos mais 2 horas até que toda a rede fosse pressurizada.

Compartilhamentos