Compartilhamentos

Em menos de 12 horas a Polícia Militar do Amapá perdeu dois policiais por problemas de saúde em Macapá. Em respeito às duas perdas, o comando geral da PM cancelou a formatura de oficiais que ocorreria nesta quarta-feira, 29, ainda em alusão ao Dia de Tiradentes.

Primeiro caso ocorreu na terça-feira, 28, com a soldado Wanessa Costa dos Santos, do Batalhão Policiamento Rodoviário Estadual (BRPE), de apenas 26 anos. Ela passou mal depois do almoço e desmaiou no banheiro de sua residência. Ela foi levada para o Hospital de Emergência com sintomas de obstrução das vias aéreas. Já no HE ela não apresentava os sinais vitais. De acordo com a PM, a causa da morte teria sido um AVC.

PMs reclamam constantemente das escalas extras de serviço, especialmente em época de grandes eventos

PMs reclamam constantemente das escalas extras de serviço, especialmente em época de grandes eventos. Foto: Cássia Lima

Por volta da meia-noite, o tenente Herlen das Mercês Ribeiro, de 44 anos, chegou à Unidade de Pronto Atendimento da UBS Lélio Silva, no Bairro do Buriizal, Zona Sul, queixando-se de dores no peito e falta de ar. Ele estava sofrendo um ataque do coração e morreu ainda no local .  

As mortes levantaram uma questão antiga sobre a saúde dos policiais. A PM do Amapá tem mais de 3,7 mil policiais, mas assim como em qualquer outra corporação do país, eles também não são obrigados a realizar check-ups médicos. A PM tem um programa de saúde que tem como estratégia a conscientização dos policiais quantos aos cuidados o corpo e a mente.

Policiais costumam reclamar nas redes sociais, especialmente das escolas extras de serviço bastante comuns em época de eventos como Reveillon e Carnaval. 

“Procuramos estimular nossos policiais a cuidar da saúde por meio de palestras e incentivo à educação física. Aqui temos ginásio, piscina, academia, fica tudo liberado de 7h30min às 9 horas da manhã todos os dias”, explicou o capitão Pedro Davi, da Divisão de Comunicação da PM.  “Parece ser mais comum acontecer isso com os policiais, mas também porque somos uma categoria numerosa”, ponderou.

O corpo de Wanessa será translado para Belém, onde mora o restante de sua família. O tenente será sepultado em Macapá nesta quarta-feira. Ele era casado e tinha 7 filhos, o mais novo deles com apenas 7 meses. 

Compartilhamentos